Artigos

Taxas de investimento: entenda quais são!

Tempo estimado de leitura:
3
minuto(s)

Atualmente, há muitas formas de investir, seja comprando ações da Bolsa de Valores, aplicando em fundos de investimentos, em títulos privados ou até mesmo adquirindo títulos públicos federais. Entretanto, algumas dessas estratégias podem ter custos para o investidor. São as chamadas taxas de investimento

Os custos de um investimento podem variar de acordo com a aplicação. Por isso, é importante estar atento a eles na hora de comparar e escolher as melhores opções para você, afinal, os custos podem influenciar na rentabilidade final obtida. Dito isso, continue lendo este artigo para entender mais sobre o assunto. 

Por que alguns tipos de investimentos têm custos?

Em geral, podemos dizer que as taxas de investimento, em sua maioria, são operacionais. Isso significa que são valores cobrados pela prestação de algum serviço, como a gestão de um fundo, ou pela intermediação na compra e venda de um ativo. Essas taxas podem variar bastante entre instituições.

Exemplos de taxas cobradas

Taxa de Corretagem

A Taxa de Corretagem é bem conhecida por investidores que costumam comprar ações na Bolsa de Valores. Por isso, é extremamente importante considerá-la antes de escolher a corretora onde irá operar. 

Essa taxa de juros para investimento pode variar entre as instituições financeiras que fazem a intermediação de ordens de compra e venda de ativos, sendo utilizada para cobrir os custos de transação da instituição. Por isso, é importante checar os valores cobrados por esse tipo de serviço com seu banco ou corretora. 

Taxa de Custódia

A Taxa de Custódia é uma remuneração paga à B3 (Bolsa de Valores oficial do Brasil) pelo serviço de registro e guarda de ativos. Ela é cobrada para a custódia de ações e títulos públicos federais, por exemplo. Muitos investidores a deixam de lado na hora de calcular os custos, e acabam tendo uma pequena surpresa na hora de verificar os resultados dos investimentos.

Em geral, essa taxa é fixa e não varia entre bancos e/ou corretoras. O valor para títulos públicos é de 0,25% ao ano, descontada de maneira semestral nos meses de janeiro e julho. O percentual é calculado sobre o valor total do investimento, e não somente sobre a rentabilidade.

Já em ações, a cobrança de custódia ocorre em aplicações acima de R$ 300 mil, com alíquotas que variam entre 0,013% e 0,0005%. Quanto maior o valor aplicado, menor é a alíquota. Essa cobrança não é obrigatória em caso de ações, e várias instituições zeram para atrair clientes.

Emolumentos

Os emolumentos estão ligados à Bolsa de Valores. Eles são recolhidos para custear a catalogação, o registro e a guarda de informações reais sobre as operações realizadas na B3. Diferentemente da corretagem, eles são cobrados pela própria Bolsa, independente da instituição escolhida. O percentual de cobrança de emolumentos varia de acordo com o tipo de operação e volume negociado. Você pode conferir todas as tarifas no site da B3.

Taxa de Administração

A Taxa de Administração nada mais é que o valor cobrado pelos fundos de investimentos para custear os serviços envolvidos na operação, como para pagar o gestor responsável. Tal pessoa é fundamental para o processo, pois analisa todos os movimentos relacionados ao fundo. 

Essa taxa também varia entre fundos e, em geral, é baseada na complexidade do fundo. Por exemplo, um fundo de ações com gestão ativa tende a ter uma taxa de administração mais alta do que um fundo passivo que se propõe a apenas acompanhar o CDI. A Taxa de Administração é descontada do valor total investido, ou seja, do capital e dos rendimentos. 

Como são as taxas da Unicred? 

Conhecer as taxas cobradas em operações de investimento é uma etapa indispensável do seu planejamento financeiro. Afinal, elas podem influenciar na rentabilidade final obtida. 

Investir com a Unicred, por exemplo, é uma ótima opção para quem está procurando as melhores taxas de investimento. Isso porque a cooperativa não tem fins lucrativos nem viés comercial. O principal objetivo é proporcionar o melhor resultado possível aos cooperados. 

Os fundos de investimentos distribuídos são selecionados a partir de um criterioso processo de escolha que considera a melhor relação entre risco, retorno, taxas envolvidas e qualidade na gestão. Já os outros investimentos da cooperativa não possuem nenhum custo de custódia ou corretagem. Ademais, vale dizer que não são cobradas tarifas pela consultoria de investimento personalizada.  

Confira mais dicas de planejamento financeiro

Esperamos que você tenha compreendido a importância de analisar as taxas de investimentos antes de realizar aplicações. Para conferir outras dicas de planejamento financeiro, não deixe de explorar mais o site Sua Saúde Financeira. Temos muitos conteúdos que podem ser bem úteis para o seu bolso.

Tem interesse em algum outro conteúdo mas não achou?

Envie uma sugestão

Sugestão de conteúdo

    X